YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  17/07/2019 | 16h49     Atualizado em 17/07/2019 | 16h51

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Coordenadoria da Mulher e da Casa de Apoio Viva Raquel recebem homenagem da Câmara

A solenidade foi durante a sessão ordinária desta quarta-feira

Zoraido Silva
Zoraido Silva

O Legislativo caxiense agraciou a Coordenadoria da Mulher e a Casa de Apoio Viva Rachel com homenagem, pela passagem de seus 20 anos, na sessão ordinária desta quarta-feira, 17. A honraria foi proposta pelo requerimento 94/2019, sugerido pela vereadora Tatiane Frizzo/SD, com as assinaturas de diversos vereadores.

 

Em nome da Casa, Tatiane se pronunciou desde a tribuna. Destacou que o sucesso de Caxias do Sul se deu, também, pela força feminina. ?Estamos trabalhando em busca de uma sociedade mais igualitária, onde homens e mulheres caminhem lado a lado, de mãos dadas?, afirmou a vereadora.

 

Janete Thomé, titular da Coordenadoria da Mulher, mostrou-se orgulhosa pelo município possuir uma rede de proteção à mulher. ?Na história, já fomos princesas, queimadas como bruxas, coadjuvantes e, hoje, personagens fundamentais do desenvolvimento da comunidade do nosso país e do mundo. Buscamos o papel de protagonistas de nossa história?, refletiu.

 

A diretora da Casa de Apoio Viva Rachel, Maureen Kahler Bagatini, afirmou que a instituição foi fundada no dia 8 de março de 1999, data em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher. ?Temos uma frase afixada em nosso mural que diz: existem mulheres fortes e mulheres que ainda não descobriram sua força?, observou Maureen.

 

Em 1999, por meio da lei 5.055, a Coordenadoria da Mulher passou a integrar a estrutura da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social (SMSPPS). Com a Coordenadoria da Mulher e com a participação de entidades civis e governamentais, o município desenvolveu ações direcionadas de atendimentos às mulheres. Tendo o objetivo de acolher as mulheres vítimas de violência física e seus filhos menores, cujo retorno ao domicílio habitual representa efetivo risco de vida, também foi criada a Casa de Apoio Viva Rachel Calliari Grazziotin.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia