YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  06/08/2019 | 17h10     Atualizado em 06/08/2019 | 17h12

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Economia de Caxias do Sul cresce 7,6% no primeiro semestre

Indicadores foram divulgados pela CIC e CDL

Agência Brasil
Agência Brasil
A indústria, com 3,4%, o comércio, com 18,4%, e os serviços, com 9%, apresentaram crescimento no primeiro semestre de 2019. Como resultado do comportamento desses três setores, o desempenho da economia de Caxias do Sul fechou com alta de 7,6% no período. Os números foram divulgados nesta terça-feira (6) pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). Na comparação entre junho e maio, porém, o desempenho da economia de Caxias do Sul teve queda de 6%. Se comparado o desempenho do mês de junho com o mesmo mês do ano passado, o crescimento foi de 5,8%. O comércio foi o segmento que apresentou maior redução, com queda de 19,2% em junho sobre maio, mas cresceu 9,8% sobre junho de 2018. Já a indústria registrou queda de 4,4% sobre maio deste ano, enquanto o segmento de serviços apresentou índice negativo de 1,6% na mesma comparação. O Índice de Desempenho Industrial (IDI/Caxias) mostrou que a indústria perdeu força em junho sobre maio e também sobre junho de 2018. No acumulado do ano, no entanto, registrou alta de 3,4%. O setor também cresceu no acumulado de 12 meses: 6,2%. Vendas industriais (6,7%) e compras industriais (3,5%) foram os indicadores que mais cresceram na comparação entre junho deste ano e junho de 2018. No comércio internacional, o saldo da balança comercial apresentou queda de 18,6% no acumulado dos últimos 12 meses, situando-se em U$ 375 milhões neste período. O Chile liderou o destino das exportações caxienses em junho. Em seguida vêm Estados Unidos, México, Argentina e China, que juntos somam cerca de 59% do total. Já o ranking dos países de origem das importações locais mostra que a China lidera com 28%. Em seguida vêm Estados Unidos, Itália, Suécia, Alemanha e Índia. Os três primeiros países representam em torno de 58% das compras no exterior. Os bens de capital (máquinas, equipamentos e materiais de transporte) estão no topo da pauta tanto das exportações como das importações caxienses. Participaram da coletiva presidente da CIC, Ivanir Gasparin, os diretores de Economia, Finanças e Estatística da CIC Maria Carolina Gullo e Carlos Zignani, o presidente da CDL, Ivonei Pioner, o assessor de Economia e Estatística da CDL, Mosár Leandro Ness, e a assessora de Economia, Finanças e Estatística da CIC, Nara Panazzolo.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia