YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  28/11/2019 | 17h15     Atualizado em 28/11/2019 | 17h18

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Deputados visitam Hospital Geral de Caxias do Sul

Divulgação
Divulgação

Nesta quinta, dia 28 de novembro, como parte das atividades da Comissão do Câncer Infantil e Adolescente no RS, deputados do ALRS fizeram visita técnica ao Hospital Geral de Caxias do Sul/RS. A intenção foi de coletar elementos para que se entenda melhor o contexto do atendimento em oncologia pediátrica no RS e assim aprimorar o modelo de atendimento.

 

Semana passada os deputados visitaram o HUSM (Hospital Universitário de Santa Maria), nesta quarta foi visitado o HCPA (Hospital de Clínicas de Porto Alegre). O plano de trabalho prevê a vista a todos os 7 centros de referência em oncologia pediátrica do RS. Já foram feitas três destas visitas a hospitais que são referênciam oncologia pediátrica. Semana que vem serão visitados o GHC (Grupo Hospitalar Conceição) e ao HSL (Hospital São Lucas).

 

Esta comitiva é integrada pelo deputado Dr. Thiago Duarte (DEM) e pela deputada Franciane Bayer (PSB), que é a relatora da Comissão do Câncer Infantil e Adolescente no RS. Também acompanha a comitiva a diretora técnica do Instituto do Câncer Infantil, Luciane Di Leone.

 

?Estamos trabalhando para entender cenário do câncer infantil, os gargalos e por que crianças e adolescentes por vezes não tem o acesso a centros de referência? explica o presidente, deputado Dr. Thiago. São 7 os centros de referência em oncologia pediátrica no RS. Quatro em Porto Alegre: Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Hospital Conceição, Hospital Santo Antônio da Santa Casa de Misericórdia e Hospital São Lucas (PUCRS). Três centros de referência em câncer infantil são no interior do RS: Hospital Universitário de Santa Maria, Hospital Geral de Caxias do Sul e Hospital São Vicente de Paulo em Passo Fundo.

 

?Temos por ano, em dados oficiais, mais de 600 casos novos de câncer infantil. Muitas destas crianças não chegam aos leitos disponíveis em centros de referência o que diminui a sobrevida e aumenta a morbidade? informa Dr. Thiago. Segundo o Instituto do Câncer Infantil as crianças tratadas nos centros de referência tem um resultado positivo no tratamento mais alto, chegando a 70% a sobrevida destes pacientes, para as crianças tratadas fora dos centro de referência a sobrevida cai para 30%. ?Precisamos mudar o fluxo dos pacientes, levarmos mais informação ao atendimento básico sobre os primeiros sintomas? concluí Dr. Thiago Duarte.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia