YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  29/11/2019 | 16h08     Atualizado em 29/11/2019 | 16h10

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Audiência pública aborda serviços de telefonia no Interior

Encontro tratou sobre demandas de moradores que sofrem com a falta de sinal telefônico

Márcio Schenatto
Márcio Schenatto

A telefonia, no interior de Caxias do Sul, foi pauta da audiência pública na quinta-feira (28/11), no Salão Paroquial de Santa Lucia do Piaí. O encontro resultou de iniciativa da Comissão de Legislação Participativa e Comunitária (CLPC) da Câmara Municipal. A ideia do tema da audiência partiu do vereador Arlindo Bandeira/PP, presidente da Comissão Temporária Especial em Defesa dos Usuários de Telefonia (CTEDUT).

 

Cerca de 70 pessoas participaram da reunião, que tratou sobre as demandas da comunidade local, no que diz respeito aos serviços e ao sinal de telefonia, no Interior do município. A audiência foi conduzida pelo vereador Edi Carlos Pereira de Souza/PSB, presidente da CLPC. Também estiveram presentes os vereadores Elisandro Fiúza/Republicanos, Kiko Girardi/PSD, Ricardo Daneluz/PDT e Velocino Uez/PDT.

 

Fizeram-se presentes, na ocasião, o coordenador do Procon de Caxias do Sul, Luiz Fernando Del Rio Horn, o assessor técnico da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego, Jorge Andreazza, o gerente da Agência Nacional de Telefonia, Rafael André Baldo de Lima, e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar, Rudimar Menegotto.

 

O coordenador do Procon afirmou que o Interior de Caxias deveria estar todo coberto por telefonia e internet. ?A operadora Oi foi notificada, através do Procon, e deveria estar oferecendo esses serviços. É uma contrapartida de quem vence a concorrência, em uma localidade, fazer a cobertura no Interior?, declarou Luiz Fernando.

 

Para Rudimar, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar, a falta de sinal prejudica o cotidiano dos produtores. ?Como o trabalhador rural vai fazer a nota fiscal eletrônica sem acesso à internet? Precisamos do apoio do Procon, da Câmara de Vereadores e da Anatel?, contou.

 

Bandeira destacou que foi a primeira vez em que um integrante da Anatel participou de uma audiência pública. ?Esperamos ter uma resposta, pois a comunidade tem feito muitas cobranças sobre a falta de telefonia e internet. Santa Lúcia do Piaí e Vila Oliva não têm sinal de celular. É uma vergonha. Lamento o não comparecimento das operadoras de telefonia, já que todas foram convidadas?, desabafou o progressista.

 

O gerente da Anatel ressaltou que existe uma regra no edital de concessões de telefonia. ?Uma obrigação para a operadora que venceu é realizar a cobertura no Interior. A regra vale para telefonia fixa e internet. A operadora tem 90 dias para a instalação, a partir do pedido do morador?, explicou.

 

Após os questionamentos dos moradores, os representantes do Procon e da Anatel prometeram verificar algumas demandas. Rafael André afirmou que a Anatel entrará em contato com a Vivo, para verificar como está a situação da telefonia, em Criúva.

 

Além do vereador-presidente Edi Carlos Pereira/PSB e de Arlindo Bandeira/PP, integram a Comissão de Legislação Participativa e Comunitária os vereadores Elisandro Fiuza/Republicanos, Gladis Frizzo/MDB e Kiko Girardi/PSD.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia