YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  02/12/2019 | 14h47     Atualizado em 02/12/2019 | 14h48

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Presépio do Santuário de Caravaggio retrata floresta e natureza: a casa comum

Crédito: Quintana Gastronomia
Crédito: Quintana Gastronomia

Quem chega ao Santuário Antigo de Nossa Senhora de Caravaggio, em Farroupilha, pode contemplar o presépio natalino instalado recentemente. Neste ano, o cenário usado é a floresta para lembrar de um importante papel: a casa comum, a criação de Deus. O Santuário Antigo fica ao lado do Santuário principal. Neste fim de semana, Papa Francisco lançou uma Carta Apostólica, ?Admirabile signum?, em que explica sobre o valor e o significado do presépio.

 

Natureza e religião formam uma ligação extremamente importante e é um dos temas que Papa Francisco aborda de diversas formas ? por isso, a escolha para que o tema fosse retratado no presépio é tão pertinente. Justamente para esclarecer ao povo porque cuidar da natureza é, também, cuidar de todos nós. Mais recentemente, em outubro, houve o Sínodo da Amazônia, reunião episcopal que discutiu também questões ligadas ao meio ambiente e aos povos indígenas.

 

Este tema também é escolhido pelo Papa Bento XVI por ocasião do Dia Mundial da Paz, de 1º de janeiro de 2010: ?Se quiseres cultivar a paz, preserva a criação?. Naquele ano, o Papa Bento XVI já refletia sobre a preocupação com os perigos que derivam do desleixo, se não mesmo do abuso, em relação à terra e aos bens naturais que Deus nos concedeu.

 

Além do Papa Bento XVI, o Papa Francisco recupera esta temática sempre que possível. É por isso, então, que o presépio deste ano representa os humanos que vivem nas florestas, a beleza da criação de Deus (fauna e flora) e alguns aspectos da destruição da obra divina (queimadas, machado e serragem).

 

Há um elemento no presépio, contudo, que pode gerar certa curiosidade: a serpente. O intuito é recordar os relatos da criação do universo e da pessoa humana, apresentado no Livro do Gênesis, e a vitória de Cristo sobre o Maligno. Em Gênesis 3, há a presença da serpente maléfica e tentadora, amaldiçoada por Deus, símbolo de Satã, o Acusador, o Adversário, o Caluniador (o Diabo).

 

Já o Novo Testamento apresenta o Natal de Jesus, sua vida pública e, sobretudo, o sacrifício da sua Páscoa como a derrota do Maligno pelo restabelecimento da comunhão com Deus. Quer-se, com o símbolo da serpente amaldiçoada no presépio, destacar que a salvação em Jesus Cristo já se inicia no seu Natal. É pelo sangue (vida) de Jesus Cristo que a pessoa humana é redimida, pois Ele é o Salvador e a Salvação.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia