YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  12/02/2020 | 11h27     Atualizado em 12/02/2020 | 12h28

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Plenário questiona licitação do transporte coletivo de Caxias do Sul

O processo foi suspenso no mês passado e o pedido de informações a respeito recebeu aprovação unânime dos parlamentares

Vania Marta Espeiorin
Vania Marta Espeiorin

Os vereadores caxienses aprovaram, por unanimidade, nesta terça-feira (11/02), um pedido de informações (4/2020) à prefeitura referente ao processo de licitação do edital 237/2019, que trata sobre a concessão do transporte público urbano. De acordo com a Lei Orgânica, o município tem 30 dias para responder ao Legislativo.

 

Assinam o requerimento os parlamentares Denise Pessôa/PT, Alberto Meneguzzi/PSB, Kiko Girardi/PSD, Elisandro Fiuza/Republicanos, Rafael Bueno/PDT e Renato Oliveira/PCdoB. Na argumentação, para justificar o texto, os autores se sustentam no interesse público, na necessidade de esclarecimentos e na função fiscalizadora da Câmara.

 

Citam matéria veiculada no Jornal Pioneiro de 6 de janeiro deste ano sob o título "Licitação para concessão do transporte coletivo de Caxias é suspensa" e pedem ao Executivo cópias dos seguintes documentos: processo de licitação e processo administrativo que deu origem ao edital 237/2019, publicado pela Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade no dia 12 de dezembro de 2019;  manifestações de solicitações de informações e pedido de impugnação protocolados pelas empresas participantes do referido processo; processos administrativos e judiciais referentes aos reajustes da tarifa do transporte coletivo urbano desde o ano de 2017 até a presente data.

 

"Falta completar a integração. Estamos vendo ônibus vazios e, como a cidade se expande, acaba tendo aumento da quilometragem. Por isso, precisamos ter um diagnóstico melhor para apontar caminhos viáveis. Uma alternativa seria o município cuidar da bilhetagem. É um caminho, inclusive, para baratear a tarifa", cogita a vereadora Denise Pessôa.

 

Na opinião do parlamentar Kiko Girardi/PSD, dentro de um processo legal, as paradas de ônibus poderiam ser exploradas para divulgação de propagandas de estabelecimentos da cidade. O republicano Elisandro Fiuza concordou com Kiko e sugeriu uma parceria público-privada para essa possível exploração. Por fim, a vereadora Paula Ioris/PSDB defendeu que o processo de licitação do transporte público tenha "toda a transparência necessária".

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia