YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  20/03/2020 | 16h16     Atualizado em 20/03/2020 | 16h18

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Decretado fechamento do comércio, restaurante e bares em Flores da Cunha

Também foi suspenso pelo período de 10 dias o transporte coletivo, transporte de fretamento e a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro

Divulgação
Divulgação

O prefeito de Flores da Cunha, Lídio Scortegagna, anunciou nesta quinta-feira, dia 19, em coletiva de imprensa, os novos decretos em relação às medidas imediatas visando a contenção da propagação do coronavírus.

 

Entre as novas determinações estão a paralisação das atividades pelo período de 10 dias, nos serviços privados não essenciais, a exemplo do comércio em geral, centros e quadras esportivas, bares, restaurantes e similares. Além do transporte coletivo urbano municipal e de fretamento, e a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro.

 

O decreto tem validade a partir desta sexta-feira, dia 20, e também recomenda que a indústria trabalhe com capacidade mínima ou até esgotar a matéria prima.  Já na manhã desta sexta-feira, dia 20, saiu o decreto 5.825 que altera algumas determinações do decreto 5.824.

 

SUSPENSOS PELO PERÍODO DE 10 DIAS

·         as atividades e os serviços privados não essenciais, a exemplo do comércio em geral, centros e quadras esportivas, bares,  restaurantes e similares;

·         a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro;

Observação: As empresas e indústrias devem trabalhar com capacidade mínima ou até terminar a matéria prima.

Consideram-se serviços privados essenciais:

I -  tratamento e abastecimento de água;

II ? geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e gás;

III ? postos de combustíveis, exceto as lojas de conveniência;

IV -  assistência médica e hospitalar;

V -  distribuição e comercialização de medicamentos, gêneros alimentícios e água;

VI ? serviços funerários;

VII ? captação e tratamento de esgoto e coleta lixo; 

VIII ? telecomunicações;

IX ? processamento de dados ligados a serviços essenciais; 

X - segurança privada; e

XI ? imprensa em geral.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia