YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  24/06/2020 | 13h39     Atualizado em 24/06/2020 | 13h40

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Fisioterapeutas passam a atuar na ala de isolamento junto à UPA de Bento

Divulgação
Divulgação

A COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo SARS-CoV-2 (coronavírus) que compromete o trato respiratório. Grande parte dos pacientes infectados apresentam leves sintomas ou até mesmo não os desenvolvem. Uma parcela menor de pacientes evolui para um estágio mais grave, necessitando de hospitalização e, em alguns casos, de ventilação mecânica (VM).

 

Em Bento Gonçalves, conforme dados da Vigilância Epidemiológica divulgados na sexta-feira,19, dos infectados, 71,4% (606) estava com quadro de síndrome gripal, por ocasião do diagnóstico, e 15,9% com síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Em 12,7% dos casos não havia sintomas gripais conhecidos. 

 

Destes 2,1% necessitou internação hospitalar. Nestes casos, a fisioterapia respiratória desempenha um importante papel mediante os sintomas da COVID-19 com a finalidade de contribuir para atenuar os sintomas ocasionados por esta doença. Principalmente após a extubação, que é a retirada da via aérea artificial, para melhorar a capacidade pulmonar. Com esse objetivo a Secretaria da Saúde passou a disponibilizar desde a última quinta-feira,18,  três profissionais da fisioterapia nos leitos de isolamento junto à UPA.

 

"O fisioterapeuta é um profissional que atua na fase aguda da COVID-19, principalmente no manejo da via aérea e na manutenção do paciente sob ventilação mecânica, ou seja, na terapia respiratória. O fisioterapeuta reabilita o pulmão lesado com técnicas e manobras para melhorar a oxigenação e a ventilação pulmonar", destaca o Secretário adjunto da Saúde, Gilberto Junior, que também atua como fisioterapeuta. 

 

Atualmente 08 pacientes estão internados no local. 

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia