YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  11/09/2020 | 09h54     Atualizado em 11/09/2020 | 09h56

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Aprovada a responsabilização de concessionárias pelo alinhamento de cabos

A proposta da vereadora Gladis Frizzo abrange fiação aérea e remoção de material excedente

Agência Brasil
Agência Brasil

Tornar obrigatório o alinhamento de cabos e fiação aérea, com remoção de material excedente, por parte de concessionárias responsáveis por serviços de energia elétrica e telefonia, é a finalidade do projeto de lei complementar 27/2019. Assinada pela vereadora Gladis Frizzo/MDB, a matéria foi aprovada na sessão ordinária desta quinta-feira (10/09). O texto seguirá para a sanção do prefeito Flavio Cassina.

 

A emedebista busca incluir o item no Código de Posturas do Município (lei complementar 377/2010). A concessionária ou permissionária fica obrigada a notificar suas contratadas que utilizam os postes, como suporte de seus cabeamentos, para que estas façam o alinhamento dos cabos e demais instrumentos por elas utilizados, e que procedam à retirada daqueles não mais utilizados.

 

O projeto estipula penalidades para descumprimentos: notificação com 30 dias para a regularização e aplicação de multa de mil valores de referência municipal (VRMs). Cada VRM corresponde a R$ 34,49. Em caso de acolhimento das razões de defesa, a pena pecuniária perderá o efeito. Se a medida se tornar lei, o prazo de implementação será de, no máximo, um ano, a contar da data de sua publicação.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia