YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  08/10/2020 | 16h46     Atualizado em 08/10/2020 | 16h47

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Projeto de mobilização e legislação prevê a aprovação da 1ª Lei nacional no combate a violência contra professores

Agência Brasil
Agência Brasil

Médico, advogado, engenheiro, contador, jornalista, fotógrafo, etc. Seja qual for a sua profissão, ela teve início com um professor. Por isso, no dia 15 de outubro lembramos o dia desse profissional responsável por formar cidadãos. Mas, temos razões para comemorar?

 

Segundo o Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo, um a cada dois docentes que atuam em escolas já sofreu algum tipo de agressão, que varia entre: verbais (48%), seguidas por assédio moral (20%), bullying (16%), furto e roubo (8%) e física (5%). Estes números reafirmam o patamar do Brasil em violência contra o professor: o país se encontra, hoje, em primeiro lugar neste ranking. E as consequências deste cenário? Cada vez mais professores deixam de lecionar, seja por medo ou doenças como transtornos e stress.

 

A pandemia da Covid-19 pode ter afastado os educadores das salas de aula, do contato físico, mas isso não minimizou, muito menos eliminou a situação de violência presente nas salas de aulas. Desta forma, a Universidade Unicesumar criou um projeto de conscientização, mobilização e legislação no combate a violência contra o professor.

 

 

Sob a responsabilidade do Prof. Dr. Ivan Dias Motta e da Profa. Dra. Andréa Lago, o Projeto de Lei foi elaborado com o intuito de estabelecer uma política pública nacional de enfrentamento à violência escolar. Por consequência, enquanto plano nacional, tem seus desdobramentos a nível estadual e municipal, sendo capaz de resguardar e proteger os interesses dos docentes das escolas municipais, estaduais e federais, públicas e privadas, auxiliando em situações de violência e, ainda, restaurando todos os envolvidos na agressão: os que sofreram, os que exerceram e os que assistiram. 

           

Para incentivar a aprovação do Projeto de Lei em Brasília, a iniciativa de conscientização, desenvolvida pela Universidade e apoiada pela campanha de comunicação criada pela agência CP+B Brasil, prevê a arrecadação de mais de 1 milhão de assinaturas no abaixo assinado, com diferentes iniciativas digitais que fazem alusão a falta de voz dos dos profissionais da educação. Entre as ações estão depoimentos de professores que sofreram algum tipo de agressão dentro das escolas, assim como vídeo com notícias sobre a violência e conteúdo que mostra a dura realidade dos docentes que estão calados.

 

Saiba mais sobre as ações no canal do You Tube da EAD Uniceumar ou nos links : https://www.youtube.com/watch?v=ECPl-jIDAYY&feature=youtu.be e https://www.youtube.com/watch?v=-x0XOih8NtI&feature=youtu.be. O Projeto de Lei pode ser conferido, na íntegra, no site https://heroisdaeducacao.com.br/, mesmo endereço para assinar a petição, até o dia 15 de outubro.

 

Em Caxias do Sul a Unicesumar está localizada na Rua Os Dezoito do Forte, 2494, bairro São Pelegrino. O telefone para contato é o (54) 3537-9009 e o WhatsApp (54) 99149-5917. 

 

Mais informações no site https://www.unicesumar.edu.br/home/

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia