YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  12/01/2021 | 14h18     Atualizado em 12/01/2021 | 15h20

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

TransRio Caxias do Sul amplia negócios com locação de caminhões

Luís Henrique Bisol Ramon
Luís Henrique Bisol Ramon

Em um ano atípico, que surpreendeu a todos, indistintamente, a busca por alternativas para fazer frente à crise sanitária e econômica tornou-se inevitável. Entender demandas e ofertas do mercado e dar respostas assertivas, de forma rápida, passou a ser ainda mais importante para a continuidade dos negócios. Foi assim que agiu a TransRio, maior rede de concessionárias de caminhão e ônibus da marca MAN/Volkswagen, com oficinas, venda de peças e caminhão seminovo.

 

Em 2020, a empresa consolidou projeto que estava sendo maturado desde o final de 2019, o de locação de caminhões, ferramenta já comum em outros países, mas ainda incipiente no Brasil, porém com forte potencial de expansão. O negócio amplia o portfólio já conhecido da marca, que inclui a venda de caminhões novos e seminovos por meio de consórcios e financiamentos, este em parceria com a BBC Leasing. "Atendemos plenamente todas as necessidades dos clientes", ressalta o diretor da Regional Sul da TransRio, Ronaldo Peirano.

 

Para a estruturação do novo negócio, a empresa tem disponíveis caminhões e implementos rodoviários de variados modelos para atender as diferentes demandas do mercado. Para uso imediato tem os produtos de maior procura, mas está preparada para assegurar a entrega de necessidades mais específicas. "Entregamos o veículo pronto para a atividade", reforça.

 

Por trazer série de vantagens, a procura pela locação vem crescendo de forma continuada ao longo do ano para diferentes modelos de caminhões e perfis de clientes. Peirano cita, de forma especial, o fato de o comprador não imobilizar ativos, podendo dedicar-se ao foco do negócio, que é o transporte. A maioria dos contratos tem longa duração, na faixa dos 60 meses.

 

Ao transportador são asseguradas as mesmas garantias de fábrica de compra de um caminhão novo em termos de manutenção. Tem, inclusive, a possibilidade de negociar um plano específico oferecido pela TransRio. "No Brasil, locar caminhão não é visto ainda como normal, ao contrário de um veículo. Em outros países já é uma operação consolidada e rentável a toda a cadeia envolvida, situação que, acredito, seja realidade por aqui em breve", projeta.

 

As 14 lojas da rede, localizadas em cinco estados, oferecem a locação de caminhões. No Rio Grande do Sul, as operações estão localizadas em Eldorado do Sul, Pelotas, Caxias do Sul e São Leopoldo, atendendo em torno de 60% do mercado da marca MAN/Volks em território gaúcho. Os demais estados atendidos são Rio de Janeiro, São Paulo, Tocantins e Sergipe - nos dois últimos com exclusividade.

De acordo com Peirano, após o baque inicial provocado pela pandemia, a atividade econômica começou lenta e gradual retomada. O setor de transportes, em especial, recuperou bem, o que permite projetar expectativas favoráveis para 2021. "Ainda existem muitas incertezas, que requerem cautela, mas o quadro atual gera perspectiva de otimismo", salienta.

 

Para o diretor da Regional Sul da TransRio, além do agronegócio, que seguirá em alta, outros segmentos devem se firmar em 2021, como construção civil, obras de infraestrutura e entregas urbanas. Um dos entraves, no momento, é a falta de caminhões para atender a demanda. Peirano atribui a situação à retomada de setores, que estavam estagnados, aliada à falta de insumos, como aço, que prejudicaram o ritmo de produção das montadoras, hoje com pedidos em carteira para quase todo o primeiro semestre. Para ele, a falta de caminhões deve perdurar ainda no primeiro quadrimestre de 2021, melhorando no segundo semestre.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia