YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

  20/01/2021 | 15h32     Atualizado em 21/01/2021 | 11h13

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Médico plantonista do Samu é o primeiro caxiense a receber dose da vacina contra Covid-19

Juliane Ribas
Juliane Ribas

A terça-feira do dia 19 de janeiro de 2021 entrou para a história de Caxias do Sul, com o início da vacinação contra a covid-19.


O médico plantonista do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), Gilmar Padilha Flores, 58 anos, às 14h, recebeu a primeira dose, aplicada pela enfermeira Mirian Claire Sartor Pedroni, 62, servidora pública há 23 anos. Ambos fazem parte da linha de frente do combate ao coronavírus.


No Samu, Gilmar atende a urgências e emergências desde o ano em que o serviço foi implantado, em 2004. Nesse período, socorreu pacientes com as mais diversas enfermidades, mas, desde que a pandemia iniciou, divide com todos os colegas da área da saúde a angústia de ajudar a salvar vidas colocando a própria vida em risco. Por isso, a chegada da vacina representa o início de um período de mais segurança para se dedicar à medicina.


"Apesar de todos os EPIs (equipamentos de proteção individual) e de todos os cuidados, nós profissionais da saúde estávamos sempre inseguros. A vacina nos dá tranquilidade para cumprir nosso dever com menos medo. A expectativa é que a vacina possa chegar logo a todos, para que essa crise que vivemos termine", define o médico, que é servidor público.


"Esse é um momento tão importante, uma conquista, que me deixa muito feliz e satisfeita", completa Mirian.


Caxias do Sul recebeu 6 mil doses repassadas pelo governo do Estado do Rio Grande do Sul e distribuídas pela 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (5ª CRS) para esta fase inicial. O quantitativo corresponde a 6 mil pessoas vacinadas com a primeira dose - a segunda está armazenada na Secretaria Estadual da Saúde e será encaminhada oportunamente.


Com o montante de imunizante atual, estima-se vacinar a totalidade de profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate ao coronavírus e parte das pessoas que vivem em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs).

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia