YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

Covid-19   27/02/2021 | 14h32     Atualizado em 27/02/2021 | 15h10

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Confira o que pode e o que não pode funcionar na bandeira preta

Até 07 de março, todo o estado está classificado como de altíssimo risco de infecção por Covid-19

Governo do estado
Governo do estado

A 43ª rodada do modelo estadual de distancimento controlado classificou todo o Rio Grande do Sul em bandeira preta, que representa altíssimo risco de contaminação por Covid-19. A classificação já havia sido adiantada pelo governador Eduardo Leite/PSDB, na quinta-feira (25), juntamento com a suspesão da gestão compartilhada com os prefeitos, ou seja, todos os municípios deverão acatar a decisão do estado e cumprir as normas da bandeira. O decreto já vale a partir deste sábado (27) e se estende até a 07 de março. Confira o que pode e o que não pode funcionar: 

 

Comércio não essencial
Permitido tele-entrega e teleatendimento, com presença de um trabalhador, com máscara, para cada 8m² de área de circulação. O atendimento na porta fica proibido. O comércio essencial pode funcionar com atendimento ao público até as 20h, quando deve fechar para atender a suspensão geral e temporária de atividades, que vigora pelo menos até as 5h do dia 2 de março.

 

Serviços gerais

Nos serviços em geral, restaurantes (à la carte ou com prato feito) podem funcionar apenas com tele-entrega e pague e leve, e 25% da equipe de trabalhadores. Essa definição também vale para lanchonetes, lancherias e bares. Salões de cabeleireiro e barbeiro permanecem fechados, assim como serviços domésticos.

 

Transporte coletivo

No transporte coletivo municipal e metropolitano de passageiros, é permitido ocupar 50% da capacidade total do veículo, com janelas abertas

 

Bancos e lotéricas

Bancos, lotéricas e similares podem realizar atendimento individual, sob agendamento, com 50% dos funcionários.

 

Esporte e Lazer 

Academias, centros de treinamento, quadras, clubes sociais e esportivos também devem permanecer fechados. As áreas comuns em condomínios prediais, residenciais e comerciais ficam fechadas. 

 

Cursos de dança, música, idiomas e esportes também não têm permissão para funcionar presencialmente. Também  ficam proibidos de atuar parques temáticos, zoológicos, teatros, auditórios, casas de espetáculos e shows, circos, cinemas e bibliotecas. Demais tipos de eventos, seja em ambiente fechado ou aberto, não devem ocorrer.

 

Praias
A permanência na faixa de areia das praias é proibida. É permitido circular (para praticar exercícios, por exemplo), desde que levando em consideração o distanciamento interpessoal mínimo de 1 metro e uso obrigatório e correto de máscara. O mesmo vale para ruas, calçadas, praças, mar, lagoa, rio e similares. 

 

Construção civil
Obras de construção de edifícios, infraestrutura e serviços de construção podem operar com 75% dos trabalhadores. O mesmo vale para reformas particulares em apartamentos ou casas. Serviços de manutenção e reparo também estão permitidos (por exemplo, conserto de elevadores). Lojas de materiais de construção são consideradas serviço essencial e podem funcionar até as 20h, com atendimento presencial ou tele-entrega, pague e leve e drive-thru. Depois das 20h, somente por tele-entrega.

 

Competições esportivas
As partidas de futebol profissional só poderão ser realizadas após as 20h. Como já havia sido definido anteriormente, segue vedada a presença de público. Outras competições esportivas terão de passar por avaliação e autorização prévia do Gabinete de Crise para serem realizadas.

 

Serviços domésticos
O trabalho de faxineiros, cozinheiros, motoristas, babás, jardineiros e similares está permitido. A partir de agora, os prestadores desses tipos de serviço doméstico poderão atuar, desde que respeitado o limite de até 50% de trabalhadores (sempre ao que exceder quatro funcionários, no mínimo).

 

Missas e cultos
Templos religiosos vão poder funcionar com limite de até 10% do teto de ocupação ou máximo de 30 pessoas.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia