YouTube Facebook Instagram
YouTube Facebook Instagram

Transporte Público   15/05/2021 | 11h42     Atualizado em 15/05/2021 | 12h31

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Vereadores se posicionam sobre aumento da passagem de ônibus em Caxias do Sul

Tarifa do transporte coletivo teve passou a custar R$ 4,75

Douglas Barreto / Divulgação
Douglas Barreto / Divulgação

Desde a última quinta-feira (13), está mais caro andar de ônibus em Caxias do Sul. A nova licitação de transporte público coletivo urbano, que renovou a parceria entre Prefeitura e a Viação Santa Tereza (Visate) por mais 15 anos, previu, dentre outros aspectos, o aumento da passagem de R$ 4,65 para R$ 4,75. Outros detalhes do edital, você confere AQUI.

 

A reportagem da BitcomTV solicitou aos 23 vereadores do município que avaliassem esse aumento com a seguinte pergunta: "Com a nova licitação do transporte público, a passagem de ônibus aumentou para R$ 4,75. Você considera este valor justo?"

 

Adriano Bressan/PTB: "Com a nova licitação a passagem estaria em torno de R$5,00 a R$5,50, mas com as medidas tomadas pelo executivo no início deste ano e enviadas e aprovadas pelos vereadores conseguimos ficar nos R$4,75, o ideal na minha opinião seria em torno de R$4,20 a R$4,50 que é o que vamos lutar para chegar nos próximos meses. No meu entendimento esse é o valor que dá pra chegar, colocando em prática o novo contrato e as medidas aprovadas pela Câmara*". 

 

*Em janeiro deste ano, a Câmara aprovou a isenção de impostos à Visate e reduziu gratuidades.

 

Alexandre Bortoluz/PP: "Pessoalmente, entendo ser um valor que impacta no dia a dia do usuário. No entanto, se o cálculo tarifário, que leva em conta diversos fatores, chegou a este valor máximo, resta-nos prosseguir na busca de meios alternativos para vermos reduzido o valor da tarifa".

 

Denise Pessôa/PT: "Sinceramente, depois de uma das principais promessas eleitorais ser de uma tarifa de R$ 3,50, essa tarifa é um desrespeito ao povo, além de condenar o transporte público pois a população deixará de usá-lo".

 

Elisandro Fiuza/Republicanos: "O valor é alto em comparação a por exemplo a cidade de Curitiba (R$ 4,50) que apresenta um sistema de transporte coletivo de primeiro mundo, com estações de transbordo e pagamento único de passagem. É claro que estamos falando de uma capital e uma Cidade de 520 mil Habitantes, mas temos que desenvolver um projeto macro de mobilidade urbana com visão de concessão de 20 anos, possível de prorrogar".

 

Felipe Gremelmaier/MDB: "Considero o valor absurdo e injusto, ainda mais neste momento de pandemia em que muitas pessoas estão sem dinheiro. Espero que o valor se aproxime muito dos R$ 3,50 prometidos na campanha pelo atual prefeito. Ressalto que, ainda em janeiro e em sessão extraordinária, o Legislativo aprovou uma série de medidas propostas pelo Executivo visando à redução da tarifa, o que não aconteceu até agora". 

 

Gladis Frizzo/MDB: "Não é o valor que nós estávamos almejando. Nós tinhamos uma promessa de R$ 3,50 do qual todo mundo ia ficar feliz. Para mim não é um valor justo, porém a argumentação deles (Executivo) é que não tem como baixar. O prefeito está estudando uma maneira de baixar, vamos aguardar se vai ficar esses R$ 4,75 que eu não acho justo, não".

 

Juliano Valin/PSD: "Se analisar o valor do diesel, ou aumento do valor das peças automotivas em função do aumento do dólar, a qualidade dos ônibus, o valor do seguro do veículo, o valor destinado a cobrir os atos de vandalismo e os demais gastos da empresa, acho que o valor é razoável. Se for olhar pelo ponto da desvalorização do poder de compra da população e a faixa salarual da maioria das famílias brasileiras, fica extremamente caro. O Brasil precisa baixar a diferença entre o real e o dólar para assim baixar o custo do combustível e das peças importadas. Prefeito prometeu que ficaria em R$3,50 o valor da passagem- agora cumpra-se".

 

Lucas Caregnato/PT: "O valor da passagem de ônibus em Caxias não cabe no bolso do trabalhador. A atual administração municipal foi eleita com a promessa da tarifa a R$ 3,50 e encaminhou a retirada de direitos como forma de barateamento. O que na prática, como alertamos, não ocorreu. Fomentar o transporte coletivo em nossa cidade depende obrigatoriamente de tornar a tarifa acessível. Iremos cobrar e buscar alternativas para que isso aconteça".

 

Mauricio Marcon/NOVO: "Eu considero que a licitação foi justa, uma pena não ter outras empresas concorrendo, se o negócio fosse tão rentável acredito que outras empresas estariam interessadas.
Por isso o candidato (a prefeito) do meu partido (Marcelo Slaviero) não prometeu milagre durante a eleição".

 

Mauricio Scalco/NOVO: "Lamento que tenha se apresentado apenas uma empresa na licitação. Considero o valor da passagem alto sim. Penso que o prefeito tem que buscar alternativas com a Visate para reavaliarem o valor final e chagarem a um número viável para a população também". 

 

Olmir Cadore/PSDB (líder do Governo na Câmara): O valor da passagem não passa somente pela questão de justo ou não. O valor de R$ 4,75 só foi possível mediante o corte de isenções e ajustes tributários, um esforço do executivo buscando inclusive uma redução. O momento pandêmico ocasionou nos últimos meses um acréscimo significativo nos insumos das concessionarias de transporte público, com a normalização deste contexto, é possível buscar uma redução na tarifa.

 

Rafael Bueno/PDT: Não tenho amnésia (da promessa de campanha do então candidato Adiló Didomenico). Me recordo que a passagem de ônibus era para estar R$ 3,50. A tarifa de ônibus custa agora R$ 4,75, em vez de diminuir, aumentou R$ 0,10. E o povo perdeu mais ainda, porque foram retiradas gratuidades, houve isenção de imposto da Visate. Voltarei para cobrar várias vezes essa questão". 

 

Renato Oliveira/PCdoB: "A Câmara Municipal aprovou a isenção de impostos para à passagem baixar. Infelizmente vão acabar com o transporte público coletivo".

 

Ricardo Daneluz/PDT: "Estávamos na expectativa do valor chegar aos R$ 3,50, conforme foi prometido pelo prefeito Adiló. O que a população espera é isso. Por outro lado destacamos a importância da retirada de algumas gratuidades como o fim do passe livre e isenções para a concessionária para esse valor não ter sido ainda maior. É importante também que se coloque em prática a utilização comercial dos busdoor para que o valor arrecadado entre na planilha de custos e ajude na redução da passagem".

 

Rose Frigeri/PT (ocupa a vaga de Estela Ballardin/PT, em licença-saúde): "Na campanha, o atual prefeito Adiló garantiu que a passagem urbana não ultrapassaria o valor de R$ 3,50. E nós, vereadores e vereadoras, assim como a comunidade em geral, temos de cobrar que o valor da tarifa seja esse, no máximo. Não há alternativa ao subsídio público. Subsidiar o valor da tarifa do transporte coletivo é um dever das administrações municipais. No entanto, na nossa cidade, os usuários são os responsáveis pelo pagamento integral dos custos operacionais das empresas de transporte urbano".

 

Tatiane Frizzo/PSDB: "Acredito que esse valor da tarifa não é o ideal. Para que possamos incentivar as pessoas a utilizarem o transporte público, precisamos de um valor mais atrativo. Em contrapartida, os sucessivos aumentos dos combustíveis tornam essa tarefa ainda mais difícil. Todos nós sentimos no bolso esses aumentos. Sei que o nosso Prefeito Adiló está buscando alternativas para reduzir o valor da passagem e a Câmara será parceira nessa luta".

 

Velocino Uez/PTB (Presidente da Câmara): "Sempre sou a favor do preço justo para a população. O prefeito vai lutar por um preço melhor do que este como vem dizendo em suas entrevistas".

 

Wagner Petrini/PSB: "Com certeza não é justo. Dias atrás falei que era uma pena nós ter só uma empresa participante da licitação, o resultado veio. Mas tenho certeza que o Prefeito tomará medidas para redução da tarifa".

 

Zé Dambros/PSB: "Eu não voto mais (favorável) a nada que seja para isentar qualquer coisa da Visate. Se o prefeito tiver alguma ideia de fazer os R$ 3,50 para um trecho mais curto, por exemplo, a cada três, quatro paradas fazer um custo menor, seria uma boa ideia. Poderia ter um sistema de distanciamento, por exemplo, quem sai lá no Recanto das Cascatas e vem até o centro poderia ser os R$ 4,75, agora, quem mora no São José e vai até o Pio X, poderia pagar menos. Tem que achar alguma forma de as pessoas voltarem a usar ônibus e nesse valor é difícil, a concorrência com os aplicativos é muito forte e está no limite essa tarifa". 

 

O vereador Sandro Fantinel/PATRIOTA declarou que não se sentir à vontade para responder a pergunta da forma pela qual foi proposta. A vereadora Marisol Santos/PSDB informou que testou positivo para Covid-19 e não estava em condições de responder quando contatada. Os vereadores Clóvis Xuxa/PTB e Gilfredo de Camillis/PSB não responderam às tentativas de contato da reportagem.  

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia